11 de julho de 2018 às 17:30

Biblioteca do Parque Villa-Lobos, em SP, é finalista de prêmio internacional

A Biblioteca Parque Villa-Lobos, na zona oeste de São Paulo, é uma das cinco finalistas do prêmio de melhor biblioteca pública da IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias), a mais importante entidade internacional da área

A Biblioteca Parque Villa-Lobos, na zona oeste de São Paulo, é uma das cinco finalistas do prêmio de melhor biblioteca pública da IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias), a mais importante entidade internacional da área.

A candidata brasileira concorre com espaços da Noruega, Holanda, EUA e Cingapura. Este ano, a instituição, que é parceira da Unesco, recebeu 35 candidaturas de 19 países.

Entre os critérios de premiação, estão a interação do equipamento com o entorno, a programação de serviços e atividades, se a biblioteca oferece oportunidades de ensino para a comunidade e se é usada de maneira inovadora para enriquecer a experiência dos frequentadores.

Inaugurada em dezembro de 2014, a Biblioteca Parque Villa-Lobos foi construída na área onde antes funcionava um depósito de lixo a céu aberto.

O esforço de revitalização do local deu início ao espaço de leitura gratuito e de livre acesso, nos moldes da Biblioteca de São Paulo, no parque da Juventude.

Não é necessária carteirinha para quem quiser ler os exemplares no local e o acervo fica quase todo à mostra, em prateleiras abertas â?”no térreo, os livros infantis e infantojuvenis. No segundo e terceiro andares, os títulos para adultos.

Há ainda histórias em quadrinhos, computadores, um acervo de DVDs. E o uso de tablets em atividades de iniciação à leitura, para crianças de seis meses a quatro anos â?”que deitam, brincam e leem no tatame a disposição no térreo. O espaço também serve para conversas com autores e aulas de ioga. 

A inclusão também aparece. Deficientes visuais têm acesso a todos os livros do acervo por meio de um aparelho que lê as páginas e as transforma automaticamente em audiolivros. Além de livros falados (obras que têm as falas interpretadas por atores), os em braile e um virador automático de páginas. 

Apenas uma sala do prédio mantém a exigência de que as pessoas façam silêncio. A ideia da biblioteca da capital paulista é ter o mínimo de regras possível.

A vencedora do prêmio será conhecida na reunião anual da IFLA em 28 de agosto, numa cerimônia em Kuala Lumpur, na Malásia. 

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo