08 de julho de 2018 às 02:00

Veja dez indicações para começar a conhecer Ingmar Bergman

Veja abaixo dez dicas para começar a conhecer Ingmar Bergman.

Veja abaixo dez dicas para começar a conhecer Ingmar Bergman.

“Lanterna Mágica” (1987)
Primeira autobiografia, em que conta histórias e faz reflexões essenciais para entender sua obra. Há controvérsia sobre a veracidade de certas passagens do livro, mas vale pela qualidade literária

“Monika e o Desejo” (1953)
Reúne elementos frequentes na obra do diretor, como uma personagem feminina forte, a impossibilidade do amor e a ousadia cinematográfica, num tom mais leve e acessível

“Morangos Silvestres”?(1957)
Lançado no mesmo ano de ?O Sétimo Selo?, inovou ao mesclar sonhos e reminiscências num road movie

“Persona”?(1966)
Com experimentação estética e narrativa (em dado momento, a película do filme queima na tela), a obra quebrou paradigmas e tornou-se marco da cinematografia moderna

“Gritos e Sussurros”?(1972)
Exemplar da fase mais atormentada de Bergman, no qual explorou profundamente a violência (interna) humana

“Cenas de um Casamento”?(1973)
Exibida originalmente como série de TV, esta crônica da vida cotidiana fez disparar a taxa de divórcios na Suécia

“Fanny e Alexander” (1982)
Épico autobiográfico que sintetiza toda a potência narrativa do diretor e expõe seus muitos interesses artísticos

“A Ilha de Bergman”?(2004)
Com tantos documentários sendo lançados em 2018, o de Marie Nyrerod é o primeiro e ainda o mais interessante. Com horas de entrevista com Bergman, revela muito de sua intimidade 

Documentários
Pouco conhecidos, seus “Faro Dokument” (um de 1969 e outro de 1979) mostram seu engajamento na vida comunitária em Faro. Serão lançados em versões remasterizadas pela coleção Criterion ainda neste ano

Viagem a Faro
A ilha no mar Báltico foi lar de Bergman por 40 anos e local de filmagem para sete de seus longas. O Bergmancenter tem exposições e oferece visitas guiadas pelo local. A melhor época para visitar é durante a Bergman Week, no verão sueco

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo